Daniel Campos

Poesias

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 2480 textos. Exibindo página 247 de 248.

Vida e morte

Nasce a lua
Brilha um olhar
Desabrocha na rua
Um sorriso de ninar

Nasce a madrugada
Olhos de sereno
O Rio na fachada
Ao riso tão pequeno

Nasce a alvorada
Arco-íris no olhar
Acorda a passarada
O sorriso a cantar

Morre a lua
Olhos cegos de dor
A poesia nua
Seca o riso em flor.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Vidas em coreografia

Feche os olhos... se a realidade não é o melhor cenário
Cale os lábios... se o medo lhe censura as palavras
Não, não ouça... se o ritmo da cidade soar desafinado
Viva... sem olhar, sem falar, sem escutar
Viva... mas não deixe morrer a dança
Onde os gestos são mais que protestos
Onde a vida exclui a violência
E a liberdade tem o papel de esperança.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Vidas não vividas

Morre
Um coração fugaz
Cada vez
Que pulsa
Um querer
Que não o quer
Mais.

E quem sonhou
Acabou
E quem sorriu
Partiu
Em tantas partidas
Carentes de vidas
Não vividas.

Vidas divididas
Vidas queridas
Vidas vencidas
Vidas paridas
Vidas despidas
Vidas banidas
Vidas perdidas
Vidas doídas
Vidas traídas.

E quem sonhou
Passou
E quem sorriu...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Vingança

Quando o amor
Se desfaz
Por favor,
Deixa-o em paz
Não o perturbe
Porque ele pode
Se aborrecer
E se zangar
E doer
Ainda mais
Só para se vingar
De alguém
Que insiste
Em algo
Que já não
Existe
Demais.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Violações

Por quê?
Por que tem que ser assim?
Podia e devia ser de outro modo, mas...
Você insiste
Em fazer tudo do seu modo
E eu não posso fazer nada
Nada
Por quê?
Eu continuo
Fiel as suas vontades
Só para poder me violar
Ao lhe perguntar
Por quê?


Comentar Seja o primeiro a comentar

Violão

Ah! Como queria dedilhar meu coração
Assim como dedilho as cordas do violão

Viver, a vida requer sofrimento
Ser bêbado em poesia
Abrir mão da alegria
E ter no canto o lamento.
Ah! Coração pede para morrer
De que vale tanto sofrer
Se a vida não o quer
No colo de uma mulher.

Ah! Como queria dedilhar meu coração
Assim como dedilho as cordas do violão

Musa da minha fantasia
Dia que renasce à noite
Na lua em maresia...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Vir

Quando precisar
Não se acanhe
Venha sim
Nem precisa
Mostrar-me os olhos
E nem rodear
O assunto
E só dizer
E vir.

Não me venha
Com porquês
Só porque
Você ficou tanto tempo
Sem me falar
Apenas venha
Venha sim
Precisando ou não
De mim.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Viva à vida, vida a viva

Tudo no mundo conhece o seu fim
Algo acaba cedo, outro vai tarde
A real certeza é o passado
Pois o futuro caminha mascarado,
A única coisa que sobra, eterna sim
É a agonia consoladora da saudade.

Ninguém me diz que é feliz plenamente
Muitos dizem ser só tristeza
Mas atrás de uma lágrima, há um olhar mais triste
Tão triste que acredita que a esperança existe,
Olhos que oram, dançam, riem no inconsciente
Nunca, jamais se entregam à incerteza....
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

Viva poesia

Há quem diga
E maldiga
Poesia
Há quem faça
E desfaça
Poesia
Há quem ame
Odeie e clame
Poesia
Mas poucos
São os loucos
A viver a poesia
No seu dia-a-dia.

Vivo a poesia
Que pulsa
Vivo a fantasia
A fundo
Cavo o mundo
E planto o sonhador
Fecundo
E messiânico
Das palavras
Que brotam como flor
No meio da lava
De um coração vulcânico.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Voa

Inspira
Suspira e voa
Se doa sem medo
Borboleta vermelha
Amarela, azul, violeta
E voa, dança, rodopia
E voa baila bailarina
Mulher, voa poesia
À toa, voa à sina
Voa seu desejo
Flor em flor
Dor em dor
Voa breve
Sem pedir
Para mim
Sem cair
Voa leve
Entregue
Enfim
Voa







Voa sim
Voa quieta
Voa no jardim...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   244  245  246  247  248   Seguinte   Ultima