Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 28 textos. Exibindo página 2 de 3.

05/06/2016 - Gertrude e Zé do Fósforo

Gertrude
Eu te amei
Mais do que pude
Mas agora
Terminou
Quem te amava
E te cortejava
Já não chora
Entendeu o fim
Aprendeu com o não.

Foi assim
De supetão
Que Zé do Fósforo
Puxou a cantoria
Quando a mulher
Entrou na padaria
Pra comprar o pão
De todo dia
Crente que aquele amor
Jamais a abandonaria.

No meio da freguesia
Zé do Fósforo ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Gerúndio

A rede balançando sozinha na varanda
O gado mugindo como manchas no pasto
O cheiro de capim molhando a última chuva
O céu rabiscando a si próprio ao fim da tarde
O cachorro correndo em busca do nada
A brasa do fogão à lenha cheirando pão
A gordura borbulhando bolinhos de chuva
O café preto acompanhando o leite
A bem-te-vi cantando diferente
O trator arando uma terra empoeirada
O canto se despedindo do galo carijó
Os pés andando descalços no carreador...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Gestos, gestações

Vinda
Das minhas alucinações
Em noite alta
Seja bem-vinda
Em minhas paixões
Caminha pela minha prancha
Que sou teu pirata
Ah! Acata
Meus versos
Como quem cata
Conchas
Em praias do mar reverso
Enquanto sonha
Ao farol
Que ilumina a vela
Do barco
Que flexiona
O amor
Num arco
Que corta o céu
Na lâmina de uma flecha
Amanhecendo o dia
Em tuas mechas...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Gibi

E se eu fosse herói
E enfrentasse
Aquele bandido
Dos filmes que você não gosta de assistir
E se eu salvasse
Aquela sua orquídea preferida
De uma explosão nuclear
Será que você
Agradeceria-me
Ou teria pena do bandido
E ódio da orquídea
Ao ponto
De mandá-la com um cartão em branco
Para meu endereço
Ao tempo pronto
De sair de braço dado
Com o bandido
Ao som de um final feliz.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Gingado

Vento
Ventou
Ventou poeira
Quando você passou
Segunda-feira
Virou
Sexta-feira.

Vento
Ventou
Ventou poeira
Quando você passou
Mundo
Ficou sem eira nem beira.

Vento
Ventou
Ventou poeira
Quando você passou
São João
Acendeu a fogueira.

Vento
Ventou
Ventou poeira
Quando você passou
Abelha
Zumbiu na colmeeira.
...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

24/12/2014 - Giros de Chico Buarque

No canto da sala de estar
Chico Buarque gira na vitrola
Sem parar
Voltas e mais voltas
De arte
Num tempo que não volta
Sentimento que não solta
São lembranças
Do meu eu criança
Que cresceu
Na esperança
De encontrar por perto
O mundo secreto
Entre a Terra, a lua e Marte
De Chico Buarque
No canto da sala de estar
Sem parar de girar, de girar
As mulheres buarquianas
As cidades buarquianas...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Gole a gole

Quando o sol se por
Na escuridão de uma lua
E lhe propor
Uma madrugada crua
Bruta e interrupta
Que ficará nua
Em suas mãos,
Silencie-se
Não diga nada
Tampouco faça.

Debruça
E soluça
No copo vazio
Da criatura amada
E sem mais desvario
Beba
Gole a gole,
Sinta-a e a beba
Sentindo todo o perfume
Que o mata de ciúme.

Sem perceber
Será parte de seu corpo...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

07/08/2013 - Goste ou não

Goste ou não
Eu ainda vivo
E persigo
Os meus ideais
Temporais e atemporais
Goste ou não
Eu ainda vivo
Inteiro e não ao meio
Em meio
Aos cartões postais
Goste ou não
Eu ainda faço
O que acho bom
Na hora e no lugar
Que eu me acho
Goste ou não
Eu me levanto
Sem pedir ajuda
E me encanto
Aqui no meu canto
Goste ou não
Faço piada do passado
Não me rendo a você...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Gostem ou não

Por amor
E só por amor
Eu sou assim
Gostem ou não de mim.

Ser poeta
É mais do que escrever poemas
Ser poeta
Na verdade
É viver em poesia
E eu vivo assim
Gostem ou não de mim.

Eu não existiria
Se não fosse permitido
Lhe oferecer-me
Seja em versos
Seja em preces
Seja em flores
E eu me entrego assim
Gostem ou não de mim.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Graal

Graal
Sua boca é um santo graal
Vinho da juventude
Cálice das paixões
Mistério e poder
Quantos demônios
Ardem o desejo
De seus lábios
Quantos os anjos
Que se misturam
No sabor de seu beijo
Todo o segredo por trás do graal
Está em sua boca
Que guarda o segundo advento de Deus
E o fim dos ateus.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3   Seguinte   Ultima