Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 41 textos. Exibindo página 4 de 5.

Inversões poéticas

Quando dois pontos se unem
A distância se torna imaginária.
Quando um mais um são sete
A semana será de lembranças.
Quando alguém disser talvez
O engano há de ser completo.
Quando seus olhos fugirem
Estarão guardados.
Quando a dor bater à porta
É porque não vai entrar.
Quando um copo vazio cair
A solidão há de lhe cortar.
Quando a vela se apagar
É porque a noite vai arder.
Quando a música mentir
Alguém vai lembra a letra....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Investidas

E se não vier mais
E se não me avisar
E se não se lembrar
O que será da poesia
Que de tanto lhe esperar
Que de tanto lhe rogar
Que de tanto lhe buscar
Vestiu-se sem usar palavras
E traiu o dia
Na cama da noite que se desfaz.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Investigações

Se não lhe encontrar
Novamente
Vou lhe procurar
De uma forma diferente.
Não vou mais olhar
Debaixo da cama
Dentro do armário
Detrás das cortinas
Da janela da sala de estar...

Não! Não vou lhe vasculhar
De porta em porta
De copo em copo
De noite em noite
Numa coleção de serenos
Eu vou lhe achar
Nas últimas alucinações
Nas últimas visões
Nos últimos venenos
No fundo de uma vista cansada....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Invocações de amor

Do Divino. Do caos.
Da Natureza. Da Pré-história.
Da junção entre a másculo
E a feminilidade.
De corpos, ramos e peles.
Amor que vibra, que fala.
Que pulsa. Dá ritmo à vida.
Amor gostado, amado, apaixonado.
Amor sentido.
Amor tocado.
Amor provocado
Amor

Ancestral, carnal.
Dos nativos.
Tribal, transcendental.
De raiz, de folha, de fruto
E de semente
Em semente
Sementeira...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Ir fugir ir fingir

Fugir
Querer se esconder
Vontade de ir embora
E querer ficar
E querer desquerer
O que não se pode negar
O destino agora
Não dá mais para sofrer
Melhor fingir.

Fingir
Ainda que para sofrer
Num tempo sem agora
Onde a regra é negar
Sem querer desquerer
Quem preferir ficar
Esquecer de ir embora
É só sorrir e se esconder
No mais breve fugir.


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/01/2016 - Ir sem medo

Eu não tenho medo de ir embora
Mas tenho pânico de ficar
Com as mãos vazias

Hoje ainda tenho algo para contar
Da velha estrada
E muito a sonhar com o que virá

Mas quando os ponteiros do relógio
Apontarem para mim
Quero poder sorrir aliviado

Pois não me prenderei ao presente
Ao futuro ou ao passado
Apenas seguirei o curso do rio


Comentar Seja o primeiro a comentar

Ironia

Amanheceu e o sol brilhou
Mais uma vez no meu olhar,
Cantarolando ao mundo afora
Sai à procura de um sorriso
Que anoiteceu em meu cantar.
Agora, o riso do sorriso chora
Agora, a alvorada foi embora
O mundo voou e o sonho não acordou
O mundo voou e o dia sem sol raiou.

Sorrir do sol... se um bem-te-vi te vir
Com um anjo perneta
Cantar pro sol...se um sábia te avisar
Do jogo da roleta
E se por no sol... se um beija-flor te propor...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

30/07/2016 - Irracional

Não dá mais para viver longe de você
É irracional separar o que é junto
Completamente sem porquê
E não adianta mudar de assunto
A gente só existe em conjunto


Comentar Seja o primeiro a comentar

Irredutível

Podem me espancar
Podem me atirar
Nos calabouços.

Podem me fazer chorar
Como namoram
E se apavoram os moços.

Podem me testar
Podem me condenar
Da primeira à última instância.

Podem me afogar
Como um barco sem mar
Como um pirata em suas ânsias.

Podem fazer sem dó
Que eu não vou voltar
Não, eu não vou voltar
Não, não, eu não vou voltar
Voltar a ser tão só...


Comentar Seja o primeiro a comentar

29/06/2013 - Isso nisso

Solta seus bichos
Explora meus nichos
Revira meu lixo

Faz reboliço
Feitiço e até enguiço
No ouriço-coração

Dá desserviço
E sumiço com capricho
Ao maciço-coração

Deixa de cochicho
Desça do crucifico
E siga o tempo cavalariço

Gruda feito carrapicho
E diga o que eu picho
No quebradiço-coração


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima