Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 85 textos. Exibindo página 3 de 9.

Bêbados de alguma coisa

Os homens que à noite se equilibram como bêbados
Não o são, porque bêbados não procuram luas
Bêbados se deitam nas calçadas longe das noites...
Os homens que à noite se confundem com bêbados
Na verdade, querem ir além das luas
São os que não se contentam com o fim do dia
Continuam além desse e fazem dois, três, quatro dias
Em uma só noite, intensa e breve...
Os homens que à noite se amam como bêbados
Vivem sem notar que não são mais do que homens...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Beco

Ir
Para não voltar
Para não lembrar
Do que deixei
Do que me ausentei.

Ir
Pelo prazer
De não poder
Olhar para trás
E dizer
Tanto tempo faz.

O desejo de ir
Ir além de lá
De estar pra lá
De lá
É maior
Que a minha construção
Por aqui
É maior que o perdão
Que vivi.

Agora
É hora
De voltar
Para não voltar
Lá onde a vida é vivida
Onde a dor é esquecida...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Begônias

Ela tinha ares de felicidade
Mas uma felicidade tímida
Não que fosse menor
Era apenas uma felicidade escondida.
Não sei por qual medo a escondia
Ela existia e isso era incontestável.
Podia senti-la longe, no seu olhar distante.
Podia senti-la perto, nos seus lábios guardados.
Seja como fosse, a felicidade acontecia
Por mais que negasse, escondesse, ela existia.
Talvez medo de perdê-la
Talvez a trancafiasse desde sempre
Talvez medo de algum trauma não acontecido...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

18/09/2016 - Beija a minha boca

Beija a minha boca
Quando eu digo não
Beija a minha boca
Quando eu dou adeus
Beija a minha boca
Quando eu a ignoro
Beija a minha boca
Quando eu me fecho
Beija a minha boca
Quando eu choro
Beija a minha foca
Quando eu fujo
(Dos) Pros seus lábios


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/09/2014 - Beija me beija

Para além da minha boca
Beija cada uma das minhas palpitações
Que palpitam aqui, ali, acolá
Numa disritmia de palpites amorosos
Beija meus tempos trevosos
Meus sentimentos garbosos
Minha alma louca e o céu de estrelas
Nuvens, luas e trovões da minha boca
Beija minha pele, meu perfume,
Meu ardume, meu sabiá, minha ciumeira
Beja, beija, beija o que me enseja
A ir ao seu encontro já tonto de mim
E sempre pronto pra ser seu assim...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/07/2014 - Beija meus pés

Que as bocas que me desgraçaram
E que me amaram
Por muito ou nada de tempo
Beijem não os meus lábios,
Meu pescoço ou meu peito
Mas que beijem meus pés
Não! Não os beijem por servidão
Por descabimento ou respeito
Mas sim porque nos pés
(Dedos, planta, dorso)
Estão o segredo de tudo
A chave da vida
O vai e vem do universo...
São meus pés que me levam
Que me trazem pelos caminhos
Do que não sou, já fui e posso ser...
continuar a ler


Comentários Comentários (5)

Beija-lilás

Detrás
Do nevoeiro
Se esconde
O beija-lilás
A fruta do conde
E o celeiro
De quem amou
Amou demais.

São frases rasgadas
São esperas atordoadas
São promessas alongadas
São vidas tomadas
De outro alguém.

Vai, meu coração
Veleiro
Dos mares do sul.

Ai, meu coração
Prisioneiro
Do tubarão azul.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Beijo abaixo

Aquieta teu impulso de fugir mundo afora
E deixa este poeta navegar
Pelo teu olhar que já não chora
Solidão
Ah! Vem, me dê a mão
Vamos
Nos calar
Num desejo baixo
Num beijo abaixo
Num contrabaixo
De paixão e querer
E esquecer
Essa doutrina de submissão
Que só faz nos envolver.


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/09/2015 - Beijo de araçá

Mulher,
Se quer um beijo com gosto de araçá
Daqueles que amarram de verdade
Como jatobá ou ingá
Numa doçura de jabuticabá
Vem, vem buscar
Direto nos meus campos. Vem sabiá
Aninhar-se na minha boca
Num ninho de capim santo
Vem sabiá beliscar o meu doce
Que o tempo, agricultor das almas,
Aos lábios me trouxe.


Comentários Comentários (1)

23/09/2016 - Beijo de cidreira

Um beijo de capim cidreira
Para acalmar a batedeira
Que seu existir me causa

Vem me beija, me coloca
Para dormir na sua asa
Depois de me dar canseira

Deixa eu te beber, me cheira
Mesmo sabendo que você
Existe sem mais nem porquê

Chá de capim cidreira pra dar
E vender em beijos de fusão
Que alimentam a imaginação.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima