Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 86 textos. Exibindo página 8 de 9.

25/06/2013 - Rosas druidas

Rosas caídas
Rosas distraídas
Rosas esquecidas

Rosas para quê?
Rosas de quem?
Rosas de buquê

Rosas traídas
Rosas perdidas
Rosas comovidas

Rosas sem (com) porquê
Rosas para quem?
Rosas do além

Rosas remoídas
Rosas feridas
Rosas descoloridas

Rosas à mercê
Rosas ao porém
Rosas de glacê

Rosas condoídas
Rosas partidas
Rosas dos druidas


Comentar Seja o primeiro a comentar

22/02/2015 - Roseira da serra

Nasceu lá na serra, nua e vermelha de vívido sangue,
Uma roseira que berra de solidão
Como que com as pétalas furadas por bangue-bangue,
Numa dor além da imaginação
Nasceu da morte de uma grande paixão, de um casal caído,
Dividido entre a sorte e a razão
Ela amou demais, entregou-se, perdeu a paz
Ele cego permitiu que a desconfiança entrasse em seu coração
Como prego batido pelo martelo da traição
E o romance que era para não chegar ao fim...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/10/2015 - Rosto do presente

Café bem quente
Chá de erva-doce
Um quê ausente
Que nos trouxe
O vento leste
O frio chegou

O mestre falou
Dona saudade
É conosco
E a realidade
Só um rosto
Do presente


Comentários Comentários (1)

Roteiro para um bom dia

Não chore a noite para evitar olheiras
Tome, antes de dormir, um chá de folhas de laranjeira
Ou seria capim cidreira?
Seja lá como for, feche os olhos imaginando
Que há
Um sabiá
A cantar baixinho em tua cabeceira
Encha teu travesseiro de ramas
De hortelã
E num sonho mais que profundo
Trama
Um novo amanhã
Para o mais velho dos teus mundos

Conte carneirinhos
E insira cada um como um desejo a mais...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rotina

Fim de tarde
O sol arde
Na promessa de um amanhã
Sem tanto alarde.

Paletó na cadeira
Um banho, pratos à mesa
E as lembranças terçãs
Sem eira nem beira.

Olhos na varanda
À procura de estrelas
No silêncio quieto da noite
De umbanda.

O horizonte de todo negro
Como se não houvesse mais nada
Além da imaginação
E de um borrão de estrada.

O gosto da noite na boca
Que ora é tão vazia...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Roubo

Fui roubado, assaltado
Não me socorram não
Pois roubaram meu coração.

Não foi um crime qualquer
Mas foi encantador
O ato de amor da tal mulher.

Não prendam a culpada
E nem a chamem assim
A minha ladra amada.

Não a coloquem na prisão
Senão vão prender também
O meu réu confesso coração.


Comentar Seja o primeiro a comentar

14/04/2017 - Rouge

O amor nos une
E nos transforma
Jamais desune
Ou deforma...

Amor que é amor
Liberta o sofredor
Não pede lágrimas
Nem rega lástimas...

Ai, se você sofre
Por um alguém
Saiba: amor ocre
Não vale um vintém...

Amor tem que ter
Paixão, vermelhidão
Rosas em buquê,
Cem tons de gratidão...

Ama quem agradece
Não quem entristece,
Ama quem reconhece...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Roupagem

Não
Tem o valor
De decepção.

Não
Tem a fantasia
E a dor
De uma traição.

Não
Tem o rancor
Que não se alivia.

Não
Tem gosto de não
Tem cheiro de não
Tem passos de não.

Não
É o sim
Que se sabe.

Não
É enfim
O que não se cabe
Discutir
Ou insistir.

Não
É o fim de estradas
Caladas
Desertas
E não certas.
...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rouxinol

Um rouxinol
Me procurou
Ao nascer da hora
E me avisou
Que o mau-tempo foi embora
E que o dia
Merecia
Uma nova chance.

O rouxinol
Sem pedir gorjetas
Voou
Para algum horóscopo
Atracado no ar
Enquanto escondi cartas
E emprestei minhas fichas
Para o dia
Tentar ser feliz
Mas foram jogadas de tolo.

O dia não ouviu conselhos
Amaldiçoou o rouxinol
E passou a vez
Não quis...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

12/12/2015 - Rua do sozinho

Passo sozinho pelas madrugadas
Não ganho nem um oi das calçadas
Até mesmo os grilos silenciam
Quando ouvem meus passos
Até as sombras sentenciam
Lá vem o rei dos embaraços
E eu passo totalmente a deus dará
Como morcego que sonha ser sabiá

Passo sem afago, chamego ou colo
Passo com lágrimas, mas não choro
Pois fui eu quem fez o meu destino
Fui eu quem abriu esse caminho
Fui ter com o adeus e os dias meus...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   5  6  7  8  9   Seguinte   Ultima