Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 86 textos. Exibindo página 7 de 9.

Rito

Toda vez
Que a primeira constelação
Surgir
Nos olhos escuros
Do céu
Saiba que este poeta
Nu em sentimento e coração
Vai cumprir
Seu rito
Mais bonito
Ao pedir
Tua mão
Em casamento
Aos deuses
Cegos
Pelas centelhas
Das estrelas
Que amam
Sob pena
De não vê-las.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Ritual

A espera inconsciente
O toque do interfone
Os olhos no espelho
As chaves girando na porta
Uma outra respiração
Os degraus fugindo da escada
Uma explosão de sentidos
E...
A vida adiou o último verso...


Comentar Seja o primeiro a comentar

07/03/2015 - Roda do destino

Um dia a gente se encontra
No outro a gente apronta
E assim a roda do destino
Põe a girar seus viventes
Em poentes e nascentes
Em meninas e meninos
Tudo se acha e encaixa
De forma tão natural
A paixão é tão sagrada
Que devia vestir túnica
Somos nós que fazemos
Que nascemos e crescemos
Tudo está na nossa mão
O mundo é nossa profissão
Temos que trabalhar dia a dia
Quebrando pedra para tirar
A poesia. Eis a nossa sina...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/01/2016 - Rodando e girando

Vou indo e vindo
Como deus quer
Deus é quem manda
O mundo girar
E eu rodar
Por esta terra
De gente
Que acerta e erra
Sem parar
De tentar
Porque a semente
Só vai brotar
Quando a casca
Quebrar

Tasca
Logo um beijo
Em quem ama
Provoca
Desejo
Na rua, na lua,
Na cama
Vai viver
Intensamente
Agora, de repente,
E urgentemente...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

03/10/2015 - Rodeia


Roda, rodeia bailarina
Com sua saia de roda
Sob a luz da lamparina
Que é quase lua cheia
Roda e borda no chão
Sua cadência inteira
Rodando e perfumando
Qual flor de laranjeira

Roda, rodeia bailarina
Com sua ponta branca
Alumeia, roda, serpenteia
Pelo chão de poeira
Endiabrada e santa
Fazendo ventania
Acendendo fogueira
Olhos de brasa e poesia


Comentários Comentários (1)

Romance

Quando lhe ouço
Escrevo os meus passos
E contrapassos
Feito um eletrocardiograma
Com picos de inspiração.

Mas nessas linhas que são ondas
Que pulsam até virar versos
E reversos
De um coração
Não sei se sou
Real ou ficção.

A história existe
O cenário existe
O drama existe
E até a ilusão
Existe e persiste
Mas eu não existo
Para além da imaginação.

Tudo isso porque
E só porque...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Romântico bélico

O deus da guerra
Violentou a deusa do amor
E eu nasci assim
Romântico bélico
Do princípio ao fim.

Tenho cordas vocais
No coração
E palavras em ordem de batalha
Entre flores e pedras
Sou da espécie de homem
Que vai à cozinha
E prepara uma comidinha
E põe mesa na cama
E ainda leva uns bocados
À boca da mulher amada.

Sou tímido
Mas venço o medo
De oferecer
O que sinto...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rosa

Eis a tua rosa
Rosa
Que de rosa é vermelha
Um vermelho quase
Tinto
De saudade.

Rosa calendário
Rosa cartão postal
Rosa enamorada
Rosa dobrada
Rosa num solitário
De um falso cristal.

Rosa que de prosa
Silenciosamente
E cuidadosamente
E irremediavelmente
Suspira
E me inspira
Nessa espera
Espera primavera.

Rosa mi bemol
Rosa do raiar do sol
Rosa de mercúrio...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rosa azul

Por detrás dos cachos das cachoeiras
Por baixo das sete cores do arco-da-aliança
Por entre as folhas das árvores dos druidas
O jardineiro do tempo
Com barba de vento e olhos de chuva
Protege de anjos e demônios
Como um cavaleiro templário
A última rosa azul.
Ah! Refém daquele homem
Que é feito e refeito
Nas areias de uma ampulheta
Floresce a rosa
Por onde o azul
Caminha em labirinto
Por onde o azul
Roda em redemoinho...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rosa dos ventos

Ultrapassei as minhas fronteiras
Derrubei as minhas barreiras
Em leiras de um outro matiz
E fiz do teu corpo o meu país

A oeste, a magia
Que cheira à flor de liz

A noroeste, a fantasia
Que ainda não fiz

A sudoeste, o dia
Que se foi por um triz

Ultrapassei as minhas fronteiras
Derrubei as minhas barreiras
Em leiras de um outro matiz
E fiz do teu corpo o meu país

A leste, a heresia...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   5  6  7  8  9   Seguinte   Ultima