Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 86 textos. Exibindo página 6 de 9.

03/08/2014 - Revés do parto

Tudo deu errado
Ponto final
Está terminado

Sem perdões
Estou aos leões
Do passado


Comentar Seja o primeiro a comentar

Revisitas

À meia luz de uma lua sem pautas
Olhos convidam bocas à contradança
E entre insinuações e outras licenças
De um deus que fugiu das ribaltas
Palavras são trazidas pelo vento
E levadas sem rumo e sem prumo.

Palavras em úteros e texturas
Que em feitio de outras criaturas
Ora gritam ora se calam
Ora se odeiam ora se resvalam.

Palavras vertendo à palma
Das mãos ainda minhas
Palavras sangrando a carne d?alma
Escorrendo sozinhas...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rezadeiras

Reza.
Reza porque deve haver um Deus.
Reza para alguma força, para algum destino, para algum instante que chama(m) de Deus.
Reza ao Deus dos cristãos, dos muçulmanos, dos ateus.
Reza ao Deus dos sem Deuses.
Maomé, Guru Nanak, Abraão, Jesus, Zoroastro, Bahá'u'lláh.
Reza.
Reza ao Deus dos credos, dos medos, dos tempos.
Reza ao Deus do sacrário.
Reza aos Deuses que não estão num altar.
Reza aos Deuses dos primatas.
Reza ao Deus das interrogações. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rezas

Bendigo o teu nome
Teu nome
Tristeza

Sou tua miséria
Tua transa
Teu prazer
E tua dor.

Hoje, amanhã
E depois me encontre
Nos lugares
Desencontrados
De sempre,

Não diga não
Ou nunca
Ou quem sabe
Ao vento,

Ontem, anteontem
E sem tempo me olhe
Tarde sendo manhã.
E tenha nas mãos
Linhas de promessas.

Lembra ou imagina
Dias atrás
Ou tarde demais.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rimas que rimam

Dias assim
Mias em mim
Fias de cetim
Alegrias de querubim
Vias de carmim
Fantasias de arlequim
Enguia e surubim
Ambrósia e alecrim
Poesia sem fim.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Ringue

Briga
Fazendo-me cócegas
Na barriga
Briga
Fazendo figa
Para tudo se acabar
Num beijo
No estopim
De um desejo
A mais
Que não dá para segurar

Briga
Porque a saudade
É a pior intriga
Briga
Mas me conta tudo
Me chora tudo
Como se eu fosse
Tua melhor amiga
Me xinga
Me rasga
Me devora
Mas que coloque em cada insulto
O susto de uma declaração de amor...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/02/2016 - Rio e mar

Hoje
Acordei
Mar

Hoje
Te amei
Rio

Hoje
Cê desaguou
Em mim

Hoje
Cê barulhou
Clarim

Hoje
Meu sal
Foi todo seu

Hoje
Afinal
A dor perdeu

Hoje
Cê perfumou
As ondas

Hoje
Cê bem clareou
Quem sonda

Hoje
Seu rio
Meu mar

Hoje
Assovio...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

16/12/2015 - Rio vazio

Ando vazio. Levo tantas coisas comigo, como um rio, e, ao mesmo tempo, não levo nada, sou levado, arrastado, jogado rumo ao mar. Sou água corrente. Nada me prende. Corro. Evaporo. Chovo. Volto a correr. Choro. Vou a me perder e a me achar e a me saber e a me deixar rumando ao mar. Não importa quanto tempo demore ou que curso tome, a certeza é que vou dar no mar. E é melhor não perguntar como será esse encontro, pois já ando tonto de imaginar minhas águas doces sacudindo para lá e para cá nas ondas do mar bravio. E eu rio, ando com tanto, seja deste ou de outro mundo de encanto, e, mesmo assim, vou vazio, pois águas correntes só vão à frente.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Rios e lagos

Não
Não me peça para parar
Eu sou rio
E rios vivem a passar
Se pararem não são rios
São lagos
E lagos não vão a lugar algum
Já os rios vivem
A correr
Para o mar
E o mar
Para além-mar.

Estendo velas
Como um lençol de núpcias
E corro pro seu peito
Como se fosse o último leito
Para se correr
Em busca do mar
Que chama o rio
Para dentro de si
Na esperança de ter
Em suas costas...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Risco

É perigoso amar
E se dar
E se doar
E se entregar
Como ninguém
Às juras
Telepáticas
De outro alguém.

É perigoso amar
E jurar
E rogar
E se mostrar
Como ninguém
Aos olhares
Cegos
De outro alguém.

É perigoso amar
E se jogar
E se atar
E se explicar
Como ninguém
Aos medos
Secretos
De outro alguém.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   4  5  6  7  8   Seguinte   Ultima