Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 101 textos. Exibindo página 4 de 11.

19/07/2014 - Fala peito

Meu peito
Ronca
Como cuíca solitária
Na quarta de cinzas

Meu peito
Geme
Como carro de boi
Na estrada vazia

Meu peito
Grita
Como ave órfã
Abandonada no ninho

Meu peito
Chia
Como vela ao vento
Num cortejo só

Meu peito
Uiva
Como lobo apaixonado
À lua cheia de solidão.


Comentários Comentários (1)

30/06/2014 - Flor de lis

Diz
Diz que ainda quer
Qualquer
Coisa de paixão
Diz
Que almeja ser
A mulher
A mais feliz
A mais amada
Diz
Abre essa boca
Que beija tão bem
E diz
Para si mesma
Que deseja
Ir além
E que trata
A obviedade
Com desdém
Diz
Diz que não nasceu
Pra ser atriz
E que não viveu
Tudo o que valeu
Para ficar no mesmo
Do mesmo
E se contentar...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

27/06/2014 - Friorento

Saudade desse frio
Desses corpos agasalhados
Desse tempo bem marcado
E desse vento vadio
Que passa boêmio
Flertando o vazio
Que há em todos nós
Tendo a solidão
Como prêmio

Saudade desse céu
Avermelhado de friagem
Do hálito esfumaçado
E da lua de cacharel
Carregada de maquiagem
Saudade dessas esquinas
Cabernet
E das estrelas meninas
Que fazem render


Comentar Seja o primeiro a comentar

17/05/2014 - Funciona assim

Porque funciona assim mesmo
Você sai quando eu ainda chego
Você em paz e eu no desassossego
Segue na retidão e eu a esmo

Um dia os corações se cruzarão
E nesse dia nada mais será ilusão
Ou realidade, tudo será perfeito
À nossa maneira, à nossa verdade

Até lá, fazer o quê? Dá-se um jeito
De se ir vivendo o que se vai querendo
De se ir tendo o que não se pode ter
O que vale é amar sem se arrepender


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/05/2014 - Filho de Seta Branca

Sou filho de um índio
Que já foi Francisco
Aquele de Assis
Que já foi João Batista
Aquele do Apocalipse
Que já foi Oxalá
Aquele grande orixá
Sou filho de um cacique
De uma tribo Tupinambá

Sou filho de Seta Branca
Nascido das almas gêmeas
De uma força tanta
Que emana e encanta
Com penachos e um alvo cocar
Sou filho do cacique inca
Que cavalga corações selvagens
Levando uma lança de presa de javali...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

11/05/2014 - Futuro do presente

Vem
Vem buscar o seu amor
O seu menino
Que corre pelas camas
Dizendo que te ama
Leia meus desenhos
Decifra meus passos
Sabe de onde venho
Por quem me enlaço
Vem
Com seu colo menina
Ninar o futuro seguro
Que nos ensina
Sobre o movimento
Da vida que nasce
E renasce
Em sentimento
Nos braços seus nos meus
Vem
Vem perder o medo em mim
E andar mão na mão
Cantando e contando...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/04/2014 - Fé em ti

Deus
Com voz forte
Diz

Sua sorte

Feliz
Crê
Na boca
Evasê


Comentar Seja o primeiro a comentar

16/02/2014 - Feito de você

Sou feito
De cada feito seu
Sou feito
Da sua falta de defeito
Sou feito
De todo jeito seu

Sou feito
Ao seu feitio
Eu coleciono
A sua fome
O seu sono
O seu nome
E tudo que dia respeito
A você

Sou feito
Do seu rosto
Do seu gosto
Do seu peito
Do seu batom
Do seu tom
Da sua pele
E do seu som

Sou feito
Do seu avesso
Do seu direito...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

15/02/2014 - Fina composição

Doce
E delicada
Assim é a mulher que eu vejo
Desejo e beijo
Com lábios e sorrisos suspensos

Imaginativa
E sensual
Assim é a mulher que é lira
E com versos me inspira
Em suas costas a escrever por extenso

Intuitiva
E pensadora
Assim é a mulher idealista
Que enche a minha vista
De beleza e de uma falta que pede lenço

Calma
E amável
Assim é a mulher que sonha...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

31/01/2014 - Flor da lua

Pelas voltas do quarto crescente
Hei de lhe pegar sem sobreaviso
Com olhos carnívoros
E lábios incisivos
Deitando seu corpo de pétalas
Pelos lençóis do vento
E todos os livros
Serão insuficientes
Para abrigar o que não tem abrigo
Para parar o que não tem paradeiro
Para registrar o que não registro
A ponto de deixar a lua
A mais nua de todas as flores
Completamente rubra
De pudor
De torpor
De furor...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   2  3  4  5  6   Seguinte   Ultima