Daniel Campos

Poesias

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 2480 textos. Exibindo página 2 de 248.

A cantiga e o soneto

Se teus olhos, se teus olhos
Desejarem
Eles sabem, eles sabem
Aonde me ver
Eu sou teu,
Eu sou teu apaixonado
Até teu tempo,
Até teu tempo me esquecer.

De repente, urge do passado um grito
O ter e o não ter sofrem um abalo sísmico
E o que era para ser se atrai pelo infinito
Como um fiel diante de um verbo bíblico.

Se teus beijos, se teus beijos
Desejarem
Eles sabem, eles sabem
Aonde me calar...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

24/07/2015 - A cereja

Olhos encabulados
Nuvens nos pés
Sorrisos guardados
Beijos de mulher
Língua de pitanga
Braços de mangas
Coração de amora
E mãos de algodão
Indo vindo embora
Saudade jabuticaba
Dá nódoa na alma
Costas de encostas
E de maré calma
Ramas de paixão
Encontros tontos
Que se desdão
E sem esteios
Dão-se em seios
Num clarão
Que troveja
Quem beija
O quê
O porquê ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

A cidade perdida

Quem conhece a cidade perdida da mulher de olhar lilás
Deveria mendigar pela morte
Porque nada mais que for visto
Sentido ou sonhado
Terá a mesma intensidade
Quiçá um sabor parecido
Depois da mulher de olhar lilás
Nada mais será novo
A vida se torna inédita na cidade perdida
De uma mulher de olhar lilás.
Ali, por maior que seja a coleção de aventuras
Do passado ou até de vidas passadas
Tem-se a certeza de que nada foi vivido...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/01/2017 - A ciência do sim

O que a vida quer de mim?
O que ainda posso fazer?
Como conseguir a diferença?
No que eu posso ajudar?
Qual porta eu devo abrir
E qual porta eu devo fechar?

Tantas perguntas sem resposta
Por favor, alguém me mostra
Por onde devo ir
Alguém me dá uma direção
É tanto não, não, não, não
Que já me esqueci da ciência
Do sim.


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/08/2014 - A deus

Um brinde ao adeus
Que quis seus passos
Longe dos meus
Embaraços

Aplausos ao deus
Bandido
Que me convenceu
Ao amor proibido


Comentar Seja o primeiro a comentar

A dor não cessa

Sem você, não há porquê.
Sem você, as horas se escondem.
Sem você, as palavras me sufocam
Os risos demoram a chegar
E quando chegam não tem o mesmo sabor
De quando ridos com você.

Sem você, os dias tendem a passar.
Tanto faz se é sol ou lua o que se dependura no céu.
Sem você, voa-se mais baixo nos ares da imaginação.
Sem você, os lugares ficam inabitáveis.
Sem você, até o silêncio desafina.
Sem você, os planetas se perdem de suas órbitas....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

A estrada da mulher amada

Para onde vai à estrada da mulher amada
Que caminhos percorrem
E onde vai dar essa caminhada
Se é que a estrada tem fim ou saída
Estrada real
Estrada proibida
Quantas as encruzilhadas
Com direito a pais-de-santo
No trajeto de labirintos da mulher amada.
Quantas bifurcações
Pontes e pontilhões
Trilhas e descampados
Montanhas e abismos
Furacões e abalos sísmicos
Nos passos da mulher amada.
Em alguns trechos...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

01/06/2015 - A falta do que não se sabe

Mesmo tendo aos pés o vasto mundo
Muitos reis ainda se sentem vira-latas
Às vezes temos tanto e temos tudo
Mas a sensação de que algo nos falta
De que ainda não estamos satisfeitos
É o que azeda o tal prato da existência
É o que desandará o ponto do perfeito
Essa incompreensão é o maior defeito
E essa gula pelo que nem se sabe o que
É a mais pesada das nossas penitências
É como se a incompletude do nosso existir
No ir e vir marcasse sempre sua presença...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

A falta que você me faz

Ah! Já não posso mais
Viver assim
De tontura em tontura
Só caindo num amor demais
Não posso mais
Viver assim
De procura em procura
Só encontrando em mim
A falta que você me faz
E que nem o tempo desfaz...

Ah! Meu anjo querubim
Diga-me uma resposta
Mais fonética
Do que o fim
Contido em suas costas
Vamos, vá além da tréplica
Para me dizer o porquê
De me deixar assim
Assim sem você......
continuar a ler


Comentários Comentários (2)

29/05/2016 - A filha do sol

Foi ali
Olhando você
Trabalhar ao sol
Foi que decidi
Quem ia amar
Pelo resto
Dos meus dias

Foi ali
Olhando você
Desabrochar sol
Não tive dúvida
Não tive escolha
Meus olhares
Só viam você

Foi ali
Olhando você
Chegar lá do sol
Foi que jurei
Para mim mesmo
Nunca te deixar
Partir de mim

Foi ali
Olhando você
Raiar um novo sol ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima