Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 95 textos. Exibindo página 2 de 10.

04/03/2015 - Um beijo em seu coração

Um beijo em seu coração não é um beijo qualquer. Um beijo em seu coração é um beijo no seu eu mulher. Um beijo em seu coração é verdade, é compatibilidade, é realidade muito mais que ilusão. Um beijo em seu coração vai além do desejo, muito além do prazer, é um infinito querer, querer-bem, querer-mais, querer-melhor, querer-feliz, querer-amor. Um beijo em seu coração é uma declaração de pureza, um voto que transcende a pele, um gesto de outra beleza. Um beijo em seu coração é um carinho completamente implícito, diferentemente explícito, totalmente lícito. Um beijo em seu coração é de um céu grená, de um doce ingá, de um ronronar angorá, de um voo sabiá. Um beijo em seu coração é de fora para dentro, de um sentimento que não aguento guardar só para mim, de um tempo lançado e sem fim. Um beijo em seu coração é algo reluzente, ardente, candente, inocente... Um beijo em seu coração não tem conotação de pecado, é um pensamento cruzado, casado, jurado, enamorado da ação. Um beijo em seu coração é rio que corre forte ao encontro do mar, junção de sul e norte, é vida acontecendo sem se importar com a morte. Um beijo em seu coração não tem sentido de posse, não cai de moda tampouco na vulgaridade, é anti-idade e não passa como tosse. Um beijo em seu coração é uma canção que sempre desperta quando a saudade aperta...


Comentar Seja o primeiro a comentar

29/11/2015 - Um bicho com outro

Um cachorro sempre cheira o outro. Um macaco sempre coça o outro. Um gato sempre se esfrega no outro. Uma vaca sempre lambe a outra. Um tatu-bola sempre se enrola como outro. Uma onça sempre pinta a outro. Uma galinha sempre bota outra. Um pavão sempre se abre pro outro. Um bicudo sempre bica o outro. Um canário sempre chama o outro. Uma zebra sempre tem a listra da outra. Um porco espinho sempre espinha o outro. Uma hiena sempre ri da outra. Um grilo sempre grila o outro. Um pato sempre empata o outro. Uma cobra sempre envenena a outra. Um sabiá sempre lálálálá pro outro. Um elefante sempre tromba o outro. Uma formiga sempre intriga a outra. Um burro sempre ensina o outro.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Um caipira em extinção

Martim-Francisco é um daqueles lugares onde a vida acontece de forma mais bonita. Andar sem se preocupar com o horário do próximo engarrafamento, escutar um galo cantar como uma moda caipira, pegar fruta madura no pé, conversar à sombra de alguma árvore. Num ritmo de trenzinho caipira, como se a vida acontecesse numa boa prosa, à vida passa num ritmo mais calmo e, principalmente, mais saudável. E Mogi-Mirim tem esse oásis caipira chamado Martim-Francisco. Só que essa tranqüilidade, essa vida que qualquer morador de cidade grande seria capaz de pagar para ter, está ameaçada. Os ares simpáticos de Mogi-Mirim podem se tornar só uma lembrança....
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

Um conto de ano-novo

O edifício se confundiria facilmente com a noite se não fossem as luzes da decoração de Natal esparramadas pela sacada. Fim de dezembro. Noite abafada. Janela aberta. O pouco de vento que navega pelos ares faz com que a cortina daquela sacada ganhe uma espécie de pulsação. Uma pulsação pausada como o sono daquela mulher.

Ela dormia como se dorme nos filmes. Além de o sono ser plástico, existia toda uma história que levava àquela cena.

Mal acabara de almoçar e foi arrumar o passado numa daquelas limpezas típicas de final de ano. Para evitar incômodos, trancou a porta do quarto. Queria reviver um ano que ganhava a sua última tarde. O silêncio era necessário. Era como se cada lembrança tivesse uma música, uma essência, uma personalidade própria... Embora tudo aquilo se confundisse com ela. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Um conto de fada sobre fidelidade

"Prometo ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando e respeitando"... esta talvez seja a declaração de fidelidade mais conhecida e mais propagada ao longo dos tempos, embora nem sempre cumprida. Nos dicionários, a palavra fidelidade é definida como constância, coerência, honestidade, lealdade. Em resumo, a fidelidade é um vínculo moral decorrente de nossas convicções. Somos fiéis aquilo que, ao longo do tempo, aprendemos a amar e a respeitar. Nos últimos dias, o tema fidelidade ganhou a berlinda de bocas fiéis e infiéis, de línguas crentes e pagãs. O alvo foi o casamento dos políticos com seus partidos, isto é, a chamada fidelidade partidária....
continuar a ler


Comentários Comentários (2)

08/07/2011 - Um convite a Inês Pedrosa

Depois de me possibilitar conhecer Vinícius de Moraes, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Jorge Amado, Dante Alighieri, Fiódor Dostoiévski, José Saramago, Pablo Neruda, Fernando Pessoa e tantos outros poetas e escritores que, ao longo da minha infância e adolescência, forjaram a minha alma, meu pai me apresentou Inês Maria Margarida Pedrosa, ou simplesmente, Inês Pedrosa.

Com a certeza de que havia descoberto mais uma pérola, colocou em minhas mãos o romance “Fazes-me Falta” da escritora portuguesa contemporânea. Uma obra que mistura literatura e poesia com carregadas doses de lirismo e sotaque lusitano. Adentrei a noite lendo aquelas linhas que chegavam a tirar meus pés do chão numa narrativa capaz de fazer brotar uma infinidade de asas em minha alma. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Um convite à solidão

Era preciso você. Não demorei a perceber que o que buscava era você. Você de tanto você. Horas e demoras olhando sem ver coisa alguma, dentre tantas visões nefastas, buscando uma explicação, um porque que não conhecia de onde vinha, uma razão para prosseguir... Mas a única causa que conseguia encontrar, entre angústias e agonias, era a conseqüência... Você. Era impossível deparar com algum tema além de você. Talvez já o soubesse. Apenas tinha que me convencer.

Um convite à solidão, um silêncio quieto e uma paisagem que dizia por si própria. No início seriam minutos, algumas horas, semanas a fim de achar respostas para a qual só haviam hipóteses e mistérios. Dentre tantas reflexões, uma pergunta que resumia tudo: como viver ausente de você? Podia ler jornais, revistas, livros, ouvir canções e só conseguia me perder desse mundo (que inexiste sem suas estruturas de cimento, suas frases prontas, seus consolos indecifráveis...). ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

25/07/2012 - Um coquetel em carne viva

A mulher apaixonada caminha como uma coqueteleira, trazendo dentro de si o néctar e o veneno das almas. O seu caminhar mistura ora de forma mais leve ora mais forte frutas frescas, essências, temperos, álcool e gelo. A mulher é um drinque de sonhos e desejos. Um coquetel de sentimentos, alguns mais ácidos outros mais açucarados. Caminha com elegância, criatividade, destreza, ritmo, misticismo, de forma limpa e agradável ao paladar exigente do deus que a criou. A caminhada dessa mulher é performática, concentrada no melhor de cada um de seus sabores. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

03/02/2012 - Um dia

Um dia à parte. Um dia frio. Um dia de luta. Um dia só. Um dia de sol. Um dia de chuva. Um dia de lua. Um dia apaixonado. Um dia branco. Um dia preto. Um dia de fé. Um dia deitado. Um dia a pé. Um dia a mais. Um dia a menos. Um dia e tanto. Um dia de santo. Um dia de cera. Um dia de riso. Um dia sem juízo. Um dia doente. Um dia somente. Um dia semente.

Um dia de canto. Um dia de encanto. Um dia internacional. Um dia local. Um dia de estrela. Um dia anônimo. Um dia carente. Um dia de pecado. Um dia aceso. Um dia teso. Um dia de peso. Um dia leve. Um dia para guardar. Um dia em guarda. Um dia calado. Um dia fadado. Um dia em xeque. Um dia partido. Um dia caído. Um dia proibido. Um dia perdido. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/06/2015 - Um dia de

Um dia de paz é o que quer o rapaz que pedala sua bicicleta pela rua incerta. Um dia sem guerra é o que deseja nossa mãe terra no seu mais profundo interior. Um dia sem dor é o que espera o coração de quem tanto amou e chorou. Um dia de festa é o que anuncia o sol invadindo as frestas. Um dia de dança é o que pede a menina que baila nos braços da esperança. Um dia de sal para o cozinheiro que vai preparar um almoço especial. Um dia de viola para os que fazem das dez cordas sua escola. Um dia sem conflito para quem viver o mais bonito dos tempos em matéria de sentimento. Um dia de fé para o que der e vier. Um dia de procura são os votos de quem não se cura da loucura da paixão. Um dia apaixonante, dançante, delirante para os amantes de plantão. Um dia estelar mesmo para os que vivem com os pés no chão. Um dia de muito riso e algum juízo. Um dia de purificação para quem for se encontrar em outra dimensão. Um dia sem limite para quem aceita do amor o convite.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima