Daniel Campos

Prosas

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 3193 textos. Exibindo página 7 de 320.

20/01/2017 - A força do vagalume

Não desista. Não desista de si. Lute com todas as suas forças. Se ninguém quer lutar por você, lute você por sua vida, por seus sonhos, por seus amores. Insista. Teime. Persevere. Não desista da sua essência, da sua natureza, do que te move. Continue em seu caminho porque atalho algum leva à felicidade que perdura. E não adianta andar pra trás porque o que ficou não pode mais ser mudado, tampouco vivido. O que puder ser esquecido, que seja. O que der para ser guardado, que sirva como lição, alimento ou motivação. Não desanime. Não esmoreça. Não entregue os pontos. Não desista da sua estrela. Não deixe de acreditar na sua luz. Acenda. Acenda-se interiormente como um vagalume. Não se apague nem permita que esse brilho seja apagado por quem quer que seja. Quem ama acende. Quem ama compartilha sua chama. Quem ama não deixa ninguém de cama. Quem ama chama à luz. E não importa se está só, um único vagalume é como a lua na noite escura. Não desista, não desista, não desista, segura a sua luz, espalha a sua luz, acredite no amor que conduz às estrelas.


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/09/2010 - A frustração da primavera

Assim como as roupas dependuradas no varal, a lua cheia já não é tão branca assim. E o pior é que ela não foi pichada por algum apaixonado num ato de total desespero. Ela está fosca, como que coberta por uma camada de fuligem. Perdeu o brilho característico e agora adoece caída no céu. As estrelas foram todas queimadas. Não sobrou uma sequer para contar histórias sobre as constelações de aquário, de touro, de leão... O céu é de uma escuridão suja, como que coberto por cinzas. É isso, a noite virou uma eterna quarta-feira de cinzas, tão nostálgica quão triste das fantasias passadas. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

12/10/2011 - A gente

E se a gente de repente, absolutamente, mudasse a direção, o sentido e o ritmo dessa jornada que anda tão ausente da gente. Sobra passado e falta presente em nossa frente dissidente de batalha. Antigamente nossa trajetória era adjacente, agora escapa pela tangente. O que era abrangente ficou restrito e o que era bonito se tornou delinqüente. A flor, a fruta, a folha, a raiz... Nada está perdido, tudo está contido numa semente. Uma semente de afeto permanente, uma semente afluente louca para germinar como uma sobrevivente do melhor e do pior da gente....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/08/2008 - A geração do caos

Seja em casa, no trabalho, nas ruas, o mundo está cada dia mais sem educação. E qual a causa dessa explosão de modos condenáveis? Embora possa parecer loucura, a verdade é que o respeito perdeu em muito com a explosão de direitos. A própria base familiar foi destruída. Hoje, pai e mãe têm que obedecer aos próprios filhos, sob risco de morte. Filho pode tudo. A todo instante, leis e regras podam o poder de educação dos pais. Os jovens aprendem de forma muito mais fácil o caminho da delegacia do que o da escola. Afinal, é mais fácil protestar em favor da liberdade que o mundo lhe confere do que aceitar uma suposta disciplina. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

25/08/2010 - A gripe chegou para ficar

A gripe chegou e você não está mais aqui para me trazer um punhado de folhas de guaco. A gripe chegou e eu fiquei sem aquele conhaque com mel de jataí e limão siciliano que você sabia preparar tão bem. A gripe chegou e não há mais os ovos caipiras das suas carijós para eu engolir de forma crua, com uma pitada de sal, antes de um copo de leite morno. Você não está mais aqui para me ensinar receitas, simpatias e benzeduras dos antigos para eu afastar essa gripe, fechar meu corpo e seguir em frente. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/02/2010 - A gripe como cupido

Pode não parecer, mas uma simples gripe alheia é uma forma de provar seu amor, de reaquecer seu casamento, de conquistar alguém. Devido à enxurrada de mal-estar causada pela gripe, a pessoa enferma fica frágil, carente. Uma ótima oportunidade para o amor entrar em cena e não sair mais.

O que acha de sopinhas e outras comidinhas dadas na boca da pessoa amada por meio de colheradas? Quem sabe enviar flores com um bilhete demonstrando seus votos de “melhoras”? Que tal dormir abraçadinho para dar segurança à criatura que ama? Garantir o seu mais completo repouso é uma demonstração de cuidado e afeto. Muna-se de frutas coloridas e exóticas, repletas de vitaminas, para seduzi-la e maximizar os sentidos. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/09/2008 - A guerra é genética

A palavra paz cai muito bem em livros históricos e religiosos. Porém, quando o assunto é vida real ela se torna abstrata como uma montanha de sorvete de passas ao rum no meio do deserto do Saara. Aqui e lá, ali e acolá, a espécie homo sapiens está sempre inventando um jeito de desestruturar o já tão desestruturado estado de paz vigente no mundo. Seja nos relacionamentos de casal ou, de família ou, de vizinhos ou, de estados ou de países há sempre uma pré-intenção de briga. Ao contrário do barro, somos feito de pólvora e adoramos riscar um fósforo no pavio alheio. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

A humanidade precisa ser humana

Filhos matam os pais motivados por paixões adolescentes. Crianças brincam de mocinho e bandido lado a lado com traficantes. Negros ainda são vistos sob os olhos do preconceito. Casebres se equilibram nos morros. Mulheres continuam vítimas de um país machista. Mãos se espalham e até competem nas calçadas em busca da sobrevivência. Infelizmente, essas não são cenas vistas apenas nas telas do cinema.

Enquanto os primeiros artigos da Constituição Brasileira de 1988 defendem a igualdade de direitos para os cidadãos e o exercício da liberdade, a realidade se manifesta de outra forma. A fome e a violência são duas provas de que os sonhos dos discursos se perdem numa vida sem maquiagem. Terras a se perder de vista e uma multidão de famintos. As pessoas que brincam juntas no carnaval são as mesmas que se matam na próxima esquina. Frente ao enorme contraste social, a vida dos discursos é esquecida. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

07/07/2008 - A ilusão do carro na tomada

O TwinDrive Golf, carro elétrico apresentado pela Volksvagem, em Berlim, virou rapidamente manchete nos principais jornais do mundo. Pudera, vivemos o pavor do fim do mundo de modo que qualquer novidade positiva parece reacender a luz no final do túnel. No entanto, carros elétricos não são, propriamente, novidades. O primeiro carro elétrico foi construído em 1837. O que fez essa idéia não vingar durante esse tempo todo ainda é mistério. Mas pode ter certeza de que passa pelo forte lobby em torno do petróleo. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

15/06/2010 - A impaciência como combustível

Se o preço de ser premiado na loteria é amargar uma eternidade em uma fila admito que jamais ganharei uma bolada dessas. Tenho horror a filas. E mais horror ainda em pedir que alguém enfrente, em meu nome, tamanha fila por conta de um jogo. Chego a deixar de comer em restaurantes e lanchonetes pratos que insuflam meus desejos por conta de filas. Nasci mergulhado em impaciência. E conforme os anos passam eu conto com ainda menos paciência. Corpo e alma me alertam em sinal de advertência, mas eu insisto. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   5  6  7  8  9   Seguinte   Ultima